domingo, 11 de maio de 2008

Lá e Cá: Repressão de Todos Nós!

É muita “coincidência”! No Pará, o slogan do governo estadual (Ana Júlia, PT) é “Pará, Terra de Todos”. Aqui, o slogan do governo (Jaques Wagner, PT-PMDB-PSDB- PCdoB-PTB- PSB-PP-PPS- PR-PV-PSC- PDT-ETC) é “Bahia, Terra de Todos Nós”.

Lá, a governadora, agora em 2008, acabou de reprimir violentamente a greve dos professores. Aqui, o governador já tinha demonstrado sua rejeição ao professorado do estado desde 2007 quando, além de não atender as reivindicações, também criminalizou o movimento e entrou na justiça e ameaçou de prisão o presidente do sindicato. Vejam, a seguir, a nota no PSOL-Pará.

NOTA DO PSOL – PARÁ

1. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), no Pará, manifesta seu mais veemente repúdio à repressão policial que se abateu na manhã de hoje, 9, sobre uma manifestação pacífica de centenas de professores e servidores da rede estadual de ensino, em greve há 17 dias por reajuste salarial e por efetivas melhorias na caótica situação da educação pública paraense.

2. Sob ordens diretas da Casa Civil da governadora, a tropa de choque da PM investiu com extrema violência contra os servidores que interditavam naquele momento a rodovia Augusto Montenegro, em frente ao Palácio dos Despachos, em Belém, exigindo que as negociações com as autoridades do governo fossem retomadas. Ao invés de abrir negociação com os manifestantes e respeitar o direito constitucional de greve dos servidores públicos, a governadora Ana Julia (PT) preferiu trilhar o caminho do ataque frontal a uma categoria que nas últimas três décadas forjou a mais importante e representativa entidade sindical dos servidores públicos, o Sintepp.

3. Este fato ficou evidenciado não somente das cenas de truculência da PM espancando educadores em plena via pública, como já se manifestara desde a última quarta-feira quando o governo do Estado ingressou com uma ação na Justiça para tentar colocar a greve na ilegalidade e forçar o retorno ao trabalho, sob pena de pagamento diário de uma absurda multa de R$ 100 mil.

4. O PSOL expressa sua integral solidariedade aos trabalhadores em educação, pois reconhece como legítimas suas reivindicações. E, nesta oportunidade, exige da governadora Ana Julia o imediato abandono da postura repressiva, autoritária e truculenta, que tem servido para expor a abissal distância entre seu discurso e sua prática cotidiana. O único caminho para superar o atual impasse é o retorno do governo à mesa de negociação, no contexto do absoluto respeito ao direito constitucional de greve e à liberdade e autonomia sindical.

Belém, 09 de maio de 2008

Araceli Lemos
Presidente do PSOL - Pará

2 comentários:

Adriano disse...

É muito boa esta informação. Assim sabemos o que inescrupulosamente estão fazendo os governos do PT et caterva. Os lutadores do povo precisam dar uma resposta.

João José disse...

VOTEI NELE MAS AINDA NÃO VI NADA DE RELEVANTE FEITO PELO GOVERNO DE WAGNER. ATÉ NA PROPAGANDA DELES, QUASE TUDO É OBRA DO GOVERNO FEDERAL. A BAHIA CONTINUA TOTALMENTE ATRELADA. ELE DIZ QUE MUDOU OS MÉTODOS E COISA E TAL, QUE NÃO É UM MANDA CHUVA COMO ACM. E POR ISSO NÃO INDICA O CANDIDATO DO PT PRA SALVADOR. MAS PELO QUE VEJO, ELE FAZ TUDO PRA ATRAPALHAR UM CANDIDATO DO PT E FAVORECER SEUS ALIADOS DE DIREITA. NEM F. NEM SAI DE CIMA!